Empresas que testam seus funcionários têm mais segurança para retornar suas atividades

Home / Saúde e Segurança do Trabalho / Empresas que testam seus funcionários têm mais segurança para retornar suas atividades
Empresas que testam seus funcionários têm mais segurança para retornar suas atividades

Empresas que testam seus funcionários têm mais segurança para retornar suas atividades

Testagem garante área livre da circulação do vírus, trabalhador saudável e empresa produtiva

Com a flexibilização da quarentena em diversas capitais do País, muitas empresas estão retomando suas atividades. Mesmo com a adoção de regras sanitárias preconizadas pelos setores, o sentimento é de insegurança, por parte de empregados e empregadores.

Uma forma de retomar as atividades de forma segura é testar os colaboradores para determinar quais poderão voltar a trabalhar presencialmente.

O governo do estado de São Paulo anunciou, em 29 de maio, um protocolo que autoriza empresas a medir temperatura, aplicar um questionário e realizar testes para a Covid-19 em seu quadro de funcionários. O objetivo, segundo o governador João Dória, é orientar o setor privado na “retomada consciente” da economia do estado.

Ricardo Pacheco, médico, gestor em saúde, presidente da ABRESST (Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho) e diretor do Grupo OnCare, destaca as recomendações: “O protocolo de testagem para o setor privado recomenda que as empresas realizem, diariamente, um questionário para saber se o trabalhador teve contato próximo com alguém testado positivo para Covid-19 nos últimos 14 dias, ou ainda se apresentou algum sintoma relacionado à doença nas últimas 24 horas. Caso a resposta seja positiva, esse colaborador precisa ser considerado como um caso suspeito”.

Para o gestor em saúde, a testagem por parte das empresas já é uma tendência em vários setores. “A exemplo dos bancos que deverão aplicar testes de diagnóstico para o coronavírus em todo os seus funcionários, sejam eles efetivos ou terceirizados, segundo o entendimento do desembargador Gerson Lacerda Pistori, da Seção de Dissídios Coletivos do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15), que determinou a testagem em massa e também concedeu aos trabalhadores o direito ao reembolso por testes que tenham sido feitos em laboratórios particulares”, informa o presidente da ABRESST.

Por que testar os trabalhadores?

O médico e diretor da OnCare afirma que mesmo com todas as medidas de segurança e prevenção, como o uso de máscaras, a lavagem frequente das mãos e o distanciamento social, é difícil reduzir a zero o risco de contaminação. “Por isso muitas empresas que precisam retomar suas atividades com segurança precisam recorrer à testagem. O teste é importante, pois identifica a população de pessoas que estão apresentando a doença, que já tiveram a doença ou que são negativos. Desta forma, é possível identificar a população de indivíduos que devem ir para quarentena e aqueles que podem retornar às atividades de trabalho”.

Ainda de acordo com Ricardo Pacheco, avaliar a detecção de anticorpos IgG e IgM por meio de testes no momento adequado (geralmente a partir do quinto dia do início dos sintomas) ajuda a gerenciar melhor as equipes de trabalho. “É fato que os sintomas da Covid-19, quando amenos, podem ser facilmente confundidos com sintomas gripais. Saber se os sintomas estiveram relacionados com este vírus específico é importante para que o indivíduo receba as orientações corretas. Por isso, os testes são importantes aliados para diminuir o impacto da infecção nas empresas e para contribuir pela saúde física e mental dos trabalhadores”.

Ele lembra ainda que a orientação adequada é valiosa nesse sentido. “É importante que as empresas sejam orientadas quanto à aplicação dos testes. Essa é uma atribuição para equipe de saúde treinada, que precisa estar à disposição para que os trabalhadores possam esclarecer suas dúvidas com profissionais capacitados e dentro dos protocolos mais atualizados”, completa Pacheco.

Sobre o Grupo OnCare

O Grupo OnCare é uma plataforma de solução integrada de saúde, que oferece assessoria e consultoria, para empresas e para população em geral. Dentro dessa plataforma, de gerenciamento macro, está a assistência médica que também garante a assistência integral social e à saúde dos beneficiários e seus dependentes, com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, de forma a contribuir para o aprimoramento do sistema social e de saúde do Brasil.

Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho é adiado por conta do surto da Covid 19

O Debate Nacional sobre Saúde e Segurança no Trabalho, um evento organizado e promovido pela ABRESST – Associação Brasileira de Empresas de Saúde e Segurança no Trabalho e que aconteceria em 3 de abril foi adiado.

O debate que abordaria assuntos de alta relevância não apenas para todos da área de segurança e saúde no trabalho, mas para toda a sociedade, o como as discussões em torno das Normas Regulamentadoras 29 (trabalho portuário), 30 (trabalho aquaviário) e 32 (serviços de saúde); e claro, a pandemia, terá sua data remarcada assim que a entidade tiver segurança de que não há mais o risco de contaminação.

Mais informações para a imprensa 

Sandra Cunha, jornalista

Mtb 26.095

[email protected]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.